6.6.11

XIII Edição do FICA, Fórum Ambiental sobre a “Energia nuclear: Fukushima, Angra dos Reis e o Césio 137 em Goiás" palestrante, Fernando Gabeira.


Governo do Estado de Goiás, Marconi Perillo e Agepel, Gilvane Felipe, realizam a XIII Edição do FICA Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental .

Como principal atividade desenvolvida pela Semarh no Fica 2011, o Fórum Ambiental, é  promovido pela Secretaria, terá suas atividades iniciadas na manhã da quarta-feira dia 15, com a discussão “Rio + 20: Avanços e Desafios”, que contará com a participação de Marina Silva e Benki Pinhanta Ashaninka, no Convento do Rosário, a partir das 9 horas da manhã, o que terá como mediador o Reitor da
UFG, Universidade Federal de Goiás, Edward Madureira Brasil.

Ainda na quarta-feira, haverá o lançamento dos Comitês das Bacias do Rio Vermelho e do Rio dos Bois durante a mesa redonda: “Comitê de Bacia Hidrográfica: uma evolução da democracia participativa”, com o Presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, e do coordenador do Fórum Nacional de Comitê de Bacia, Lupércio Zirolo. Teatro da Casa de Fundição, a partir das 14 horas.

Na quinta-feira, dia 16, a Semarh vai coordenar o debate “Consequências Climáticas na Conservação do Patrimônio Histórico”, com Fabio Feldmann, Luiz Fernando de Almeida e Carlos Nobre, no Convento do Rosário, às 9 horas.

As atividades continuam na sexta-feira, dia 17, com a discussão acerca da “História da cultura ambiental no Brasil” com José Augusto Pádua, Altair Sales Barbosa e Fernando Lana. Mais uma vez o debate será no Convento do Rosário, também às 9 horas.

Os encontros se encerram somente no domingo, dia 19, com a presença de Fernando Gabeira para debater sobre o tema “Energia nuclear: Fukushima, Angra dos Reis e o Césio 137 em Goiás”. Este grande encontro será no Teatro São Joaquim, às 10h30, com mediação do Secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Leonardo Vilela.

O 4º e último Painel, será proferido dia 19, com a presença de Fernando Gabeira, sobre o tema “Energia nuclear: Fukushima, Angra dos Reis e o Césio 137 em Goiás”, com mediação do presidente da Semarh, Leonardo Vilela. Este, painel será realizado no teatro São Joaquim às 10:30.
Fernando Paulo Nagle Gabeira (Juiz de Fora, 1941) é escritor, jornalista e deputado federal do Rio, nascido em 1941, é mineiro de Juiz de Fora e carioca por opção desde 1963. É pai de duas filhas: Tami e Maya.

Destacou-se como jornalista, logo no início da carreira, na função de redator do Jornal do Brasil, onde trabalhou de 1964 a 1968. Os colegas de redação diziam que o estilo marcante dos textos de Gabeira podia ser reconhecido até em bilhetes. No final dos anos 60, ingressou na luta armada contra a ditadura militar. Foi preso e exilado.

Em dez anos de exílio, esteve em vários países. Testemunhou no Chile, em 1973, o golpe militar que derrubou Salvador Allende. Mais tarde, retrataria a queda e o assassinato de Allende em roteiro para a TV sueca. Na Suécia, país onde viveu mais tempo durante o exílio, exerceu desde o jornalismo, principalmente na Rádio Suécia, até a função de condutor de metrô, em Estocolmo.

Com a anistia, voltou ao Brasil no final de 1979. Nos anos seguintes, Gabeira dedicou-se a uma intensa produção literária, construindo as primeiras análises críticas da luta armada e impulsionando no Brasil temas como as liberdades individuais e a ecologia. Livros como O que é isso Companheiro, O crepúsculo do Macho, Entradas e Bandeiras, Hóspede da Utopia, Nós que Amávamos tanto a Revolução e Vida Alternativa apontaram novos horizontes no campo das mentalidades e colocaram na berlinda uma série de velhos conceitos da vida brasileira.

Em 1986, candidatou-se ao governo do estado pelo Partido Verde e inaugurou uma nova forma de militância política. Os tradicionais comícios e passeatas, sisudos e cinzentos, ganharam uma nova estética. Dois momentos culminantes foram a passeata Fala, Mulher, que coloriu a avenida Rio Branco de rosa e a cobriu de flores, e o Abraço à Lagoa, em que milhares de pessoas deram as mãos em torno da Lagoa Rodrigo de Freitas, produzindo um dos momentos de maior força simbólica e plástica da cena política brasileira.

Nos anos seguintes, Gabeira continuou jornalista, escritor e tornou-se um dos principais líderes do PV. Em 1987, cobriu em Goiânia o acidente radioativo com o césio 137 e escreveu seu décimo livro, Goiânia, Rua 57 – O nuclear na Terra do Sol. Sua atuação política e jornalística foi marcante em diversos outros fatos importantes da vida nacional, particularmente os ligados à questão ambiental, como a investigação do assassinato de Chico Mendes, a interdição da usina nuclear de Angra I por problemas de segurança e o encontro mundial dos povos indígenas em Altamira (PA).

Em 1988, lançou o livro Greenpeace: Verde Guerrilha da Paz, uma reportagem-ensaio que apresentou ao Brasil a filosofia e os bastidores da maior organização ecologista do mundo.

Em 1989, foi candidato a presidente da república. Gabeira era, já então, a mais visível liderança de uma nova opinião pública, mais escolarizada, mais atenta a questões ambientais, culturais e éticas. No mesmo ano, como jornalista, assistiu a queda do muro de Berlim.

Em 1994, elegeu-se deputado federal e, desde então, tem sido reeleito, com votação crescente, pela população do Rio de Janeiro, para a Câmara Federal. É um dos mais influentes deputados do Congresso Nacional.

Em 2006, foi o candidato mais votado no estado. Em 2008, Gabeira foi candidato a Prefeito e liderou uma onda verde no Rio que, apenas por pouquíssimos votos, não o fez prefeito da cidade. Em 2010, foi candidato a Governador e terminou a disputa em segundo lugar, com 20%.

Tentando traduzir a importância de Fernando Gabeira na vida política nacional, a revista Veja escreveu que ele era “o guerrilheiro da lucidez, a materialização das utopias impossíveis”. É um grande elogio: não é fácil harmonizar lucidez e utopia.

Fernando Paulo Nagle Gabeira (Juiz de Fora, 1941) is a writer, journalist and congressman from Rio, born in 1941, is a miner of Juiz de Fora and Rio by choice since 1963. He is the father of two daughters, Tami and Maya.

Stood out as a journalist early in his career, in the role of editor of the Jornal do Brazil, where he worked from 1964 to 1968.Colleagues said that the writing style of the texts marked Gabeira could be recognized even in tickets. In the late '60s, he joined the armed struggle against military dictatorship. He was arrested and exiled.
In ten years of exile, was in several countries.

Witnessed in Chile in 1973, the military coup that toppled Salvador Allende. Later, retract the fall and assassination of Allende in the roadmap for Swedish TV. In Sweden, where he spent more time in exile, had since journalism, especially on Radio Sweden until the function subway conductor in Stockholm.

With the amnesty, he returned to Brazil in late 1979. In subsequent years, Gabeira has dedicated itself to an intense literary production, building the first critical analysis of armed struggle in Brazil and driving issues such as individual freedoms and ecology.Books like What's that Dude, Twilight of the Male, inputs and Flags, guest of Utopia, which we loved so much and Alternative Living Revolution pointed to new horizons in the field of thinking and put on trial a number of old concepts of Brazilian life.

In 1986, he applied to the state Green Party and inaugurated a new form of political activism. The traditional rallies and marches, grim and gray, gained a new aesthetic. Two peak moments were the march Speak, woman, who colored the Avenida Rio Branco in pink and covered with flowers, and embrace the lagoon, where thousands of people held hands around the Lagoa Rodrigo de Freitas, producing one of the greatest moments symbolic force and plastic Brazilian political scene.

In subsequent years, continued Gabeira journalist, writer and became a major player in the PV. In 1987, covered in the Goiania radiation accident with cesium 137 and wrote his tenth book, Goiânia, Street 57 - The nuclear power on Earth from the Sun newspaper and his political activity was evident at several other important facts of national life, particularly those related the environmental issue, as the investigation into the murder of Chico Mendes, a ban on the Angra I nuclear plant because of safety concerns and the world summit of indigenous peoples in Altamira (PA). In 1988, Greenpeace launched the book: Guerrilla Green Peace, an entry-test showed that in Brazil the philosophy and background of the world's largest environmental organization.
In 1989, he was a candidate for president of the republic. Gabeira was, even then, the most visible leadership for a new public opinion, more educated, more attentive to environmental, cultural and ethical. In the same year as a journalist, watched the fall of the Berlin Wall.
In 1994, he was elected federal deputy, and since then has been reelected with increasing voting by the population of Rio de Janeiro, to the Federal Chamber. It is one of the most influential members of Congress. In 2006 he was the top vote-getter in the state. In 2008, Gabeira was candidate for mayor and led a green wave in Rio that only by very few votes, did not the city government.In 2010, he was a candidate for governor and finished the race in second place with 20%.

Trying to translate the importance of Fernando Gabeira in national political life, Veja magazine wrote that he was "the guerrilla of lucidity, the materialization of utopia impossible." It's a great compliment: it is not easy to bring clarity and utopia.

ODMs Objetivos de Desenvolvimento do Milênio!

ODMs Objetivos de Desenvolvimento do Milênio!
O Brasil, Pode

Sejam Benvindos, todos os povos do Planeta Terra.

Français Bienvenue!

Welcome's British and American peoples who share the English language!

Έλληνες Καλώς!

Velkommen Nordmen!

Velkommen Danske Folk!

Bienvenido Spanisgh!

Svenska Välkommen!

Welcome Italiano!

Welkom mense Africaneses!

Benvingut persones Catalanesa!

Slováci vítajú ľudia!

Mirë se vini popullit Shqiptar!

Willkommen deutschen Volkes!

Дабро людзям Bielosrussos!

한국 사람 환영합니다!

!نرحب الشعوب العربية

欢迎人民!